Arquivo Miroel Silveira: uma leitura dos processos da censura prévia ao teatro sob o prisma do gerenciamento de informações

Maria Aparecida Laet

Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação, Linha Estética e História da Comunicação, da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, como exigência parcial para obtenção do Título de Mestre em Ciências da Comunicação, sob orientação da Profª. Drª. Maria Cristina Castilho Costa.

Download

Esta pesquisa propõe a análise da censura prévia exercida pelo Estado sobre o teatro, a partir dos documentos existentes nos prontuários que compõem o Arquivo Miroel Silveira, sob o prisma do gerenciamento de informações. Verificamos que o exercício do gerenciamento de informações costuma ser apresentado como atividade planejada, técnica, racional e neutra, exercida para a melhoria de processos. Já a censura é exercida por meio de processos burocráticos para a proteção do bem comum. Apesar dos objetivos diferentes, resultam na utilização de um mesmo recurso, que é a interferência no fluxo de informações ? relacionadas à produção material, no âmbito das empresas e relacionadas à produção artística, quando se trata da censura prévia. A partir daí, propusemos um estudo da censura prévia como um tipo de gerenciamento de informações. Para isso, analisamos o processo burocrático da censura prévia ao teatro. Nossa pesquisa mostrou que o gerenciamento de informações realizado através da censura permite que o Estado se aproprie de informações sobre a produção teatral e das pessoas a ela relacionadas, puna aqueles que expressam idéias divergentes e coíba a resistência à ação da censura. Por meio de nosso estudo, concluímos que o gerenciamento de informações e a censura, de fato, não são exercidos para o bem comum, mas para atender aos interesses daqueles que têm o poder para planejá-los e colocá-los em prática.


Palavras-chave: censura ao teatro; gerenciamento de informações; fluxos de informações; poder; comunicação e política.